A Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE) entregou nesta terça-feira (31) os certificados dos cursos realizados no primeiro semestre da turma “Juventude, Direitos Humanos e Fabricação Digital” do programa Bolsa Trabalho. Foram contemplados 20 jovens, com idade entre 16 e 20 anos, que participaram da capacitação pelo período de seis meses, com aulas de segunda a sexta-feira.

Na ocasião, a secretária Aline Cardoso, destacou a importância do programa para a qualificação dos jovens. “A SMTE tem uma grande preocupação com o futuro do trabalho, vocês já devem ter ouvido falar que cerca de 60% das profissões que existem hoje não existirão mais em vinte anos. Então nós analisamos quais são as linhas descendentes, os grandes temas e as áreas que vão se desenvolver, para justamente trazer qualificação e oportunidade nesses setores. É muito bom saber que a juventude já está ligada e antenada nessas oportunidades, que nós acreditamos que devem ser oferecidas para todos”, afirma.

A formação foi composta de palestras temáticas e visitas a museus e centros culturais. Os jovens também participaram de aulas de tecnologia nas unidades do Fab Lab Livre SP – espaços de criatividade, aprendizado e inovação acessíveis para quem deseja desenvolver e construir projetos. Os Fab Lab são equipados com impressoras 3D, cortadoras a laser, plotter de recorte, fresadoras CNC, computadores com software de desenho digital CAD, equipamentos de eletrônica e robótica e ferramentas de marcenaria e mecânica.

O programa é uma iniciativa da SMTE, em parceria com as secretarias municipais de Direitos Humanos e Cidadania e Inovação e Tecnologia, e tem como objetivo articular projetos de inclusão digital de jovens na periferia de São Paulo, além de apoiar o desenvolvimento local, incentivar o retorno à educação e o aumento da escolaridade.

Durante a cerimônia, a secretária também anunciou a nova política pública de inserção no mercado de trabalho voltada participantes do programa. “Nós temos uma grande preocupação com a inserção social e as oportunidades que podemos trazer para os jovens. A SMTE tem uma série de ações que fazem a inserção econômica dos jovens de periferia como o Vai Tec, o Sampa Criativa e uma iniciativa que nós estamos desenvolvendo de inclusão por meio da gastronomia. Além disso, estamos trabalhando em uma ação para que possamos oferecer vagas para os participantes do Bolsa Trabalho, por meio dos Centros de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo (CATe)”, declara.

Participaram também da formatura os secretários municipais de Direitos Humanos e Cidadania, Eloisa Arruda; de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenberg e de Governo, Julio Semeghini.

 Sobre o Bolsa Trabalho

 O programa Bolsa Trabalho é regido pela Lei 13.841, de 7 de junho de 2014, e contempla jovens na faixa etária de 16 a 20 anos, provenientes de famílias cuja renda per capita seja equivalente ou inferior a meio salário mínimo nacional vigente, que estejam matriculados em cursos vinculados ao sistema nacional de ensino ou tenham concluído o ensino médio, inclusive o profissionalizante.

Para participar do programa, o jovem deve residir no município de São Paulo e estar desempregado (sem receber o salário desemprego). Durante a vigência do programa, o jovem deve comprovar frequência mínima mensal de 85% nas aulas da escola convencional e manter o índice de frequência no curso. Durante o programa, o participante recebe um auxílio pecuniário mensal, no valor atual de R$ 484.