A Câmara Municipal de São Paulo está com agenda de Audiências Públicas até o dia 23 de novembro para debater a Proposta de Lei Orçamentária Anual para o ano de 2019. A receita prevista na proposta do Executivo para 2019 é em torno de R$ 60 bilhões.

O presidente da Comissão de Finanças, vereador Jair Tatto, conduziu as audiências públicas realizadas nesta quarta-feira, 21 de novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal com representantes das secretarias de Desenvolvimento Econômico, da Saúde, da Pessoa com Deficiência e de Subprefeituras.

A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, destacou as ações da pasta que reúne as coordenadorias de Trabalho, Desenvolvimento Econômico e de Segurança Alimentar. Estão ainda sob sua administração a Fundação Paulistana de Educação, Tecnologia e Cultura e a Ade Sampa – Agência São Paulo de Desenvolvimento. “Desde que assumimos a Secretaria em julho do ano passado realizamos uma restruturação que visa integrar as diferentes áreas. O objetivo foi trazer maior eficiência à pasta. Conseguimos avançar em políticas públicas para a cidade, mesmo contando com uma variedade de temas, o que nos traz quatro metas em todas essas áreas”, salienta Aline Cardoso.

A titular da pasta apresentou aos participantes algumas ações de 2018 como a Campanha de Combate ao Desperdício de Alimentos, que envolve os mercados Kinjo Yamato, Central Pari e o Sacolão de Pinheiros, e o lançamento do Observatório da Gastronomia, voltado à articulação e fortalecimento do segmento na capital.

Também foram destacados projetos realizados como o Festival do Empreendedor, o Mais Mulheres, Vai Tec, com qualificação para a população. Outra ação é a política pública Mãos e Mentes Paulistas, que valoriza os trabalhadores manuais e de artesanato, visando abranger até 30 mil pessoas, entre mulheres, idosos e pessoas com deficiência. Na área do trabalho, um dos destaques foram as 7,5 mil vagas de trabalho disponibilizadas no Contrata SP – Fim de Ano, que atendeu cerca de 10 mil pessoas no mês de dezembro.

Para 2019, entre outros projetos previstos, está o Plano de Desenvolvimento Econômico, que norteará a cidade para os próximos 10 anos, e a implantação de coworkings públicos.

O orçamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para 2019 ficará em torno de R$ 76 milhões e para a Fundação Paulistana será de R$ 24 milhões.