Combater o sobrepeso que atinge mais da metade da população brasileira e garantir o acesso a alimentos saudáveis são alguns dos principais desafios da política de Segurança Alimentar e Nutricional. Com esse objetivo, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da cidade de São Paulo realizou, na última terça-feira, 16 de outubro, o “1º Simpósio de Combate ao Desperdício e Promoção da Segurança Alimentar”, na Praça das Artes – Centro. Durante o evento, foram discutidos temas como a Segurança Alimentar e Nutricional, resíduos sólidos, orgânicos e o Programa Banco de Alimentos.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, fez a abertura do evento destacando as ações da Pasta no âmbito da alimentação. “A Secretaria conta com diversas iniciativas que incentivam a população a consumir alimentos saudáveis, como as feiras orgânicas, feiras livres, oficinas de aproveitamento e hortas. Esse encontro é fundamental para que possamos discutir sobre essas e muitas outras políticas que podem ajudar e promover a Segurança Alimentar”, afirma.

Ainda no início do evento, a secretária assinou o acordo de cooperação com o CRN-3 – Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região do Estado de São Paulo. O documento tem como objetivo promover a alimentação saudável com o acompanhamento de profissionais da área.

O encontro foi dividido em quatro painéis composto por especialistas da área da alimentação, do setor público e privado.

O primeiro painel abordou as Iniciativas e desafios do poder público e setor privado. O bate papo contou com a participação da professora da Codae – Coordenadoria de Alimentação Escolar, Matilde Scandola, da médica veterinária da Secretaria Municipal de Saúde, Andréa Boanova, do biólogo da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, Alessandro M. Mazzoni.

Já na segunda parte do primeiro painel, estavam presentes a assessora da Abrasel – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Ana Helena Salles, a coordenadora de sustentabilidade da APAS – Associação Paulista de Supermercados, Rose Pavan, o chef do restaurante Corrutela, Cesar da Costa, a nutricionista do CRN-3 – Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região do Estado de São Paulo, Denise Hernandez e a fundadora do Connecting Food, Alcione Silva.

“Nós precisamos nos preocupar também com a melhoria da mobilidade urbana, tempo da jornada de trabalho e muitas outras questões que afetam diretamente o cotidiano do brasileiro. Tudo isso influencia na educação alimentar. Precisamos combater o consumo inadequado que é causado pela falta de tempo das pessoas”, declarou a professora da Codae – Coordenadoria de Alimentação Escolar, Matilde Scandola.

 O segundo painel falou sobre a educação como caminho para a mudança alimentar. Para tratar do assunto, a apresentação foi composta pelo chef de cozinha, Diego Santos; o chef do Gastronomia Periférica,  Edson Leitte; a médica veterinária da USP – Universidade de São Paulo, Simone Balian; a agricultora da FGV- Fundação Getúlio Vargas, Luciana M. Vieira;

O chef da Gastromotiva, Diego dos Santos, destacou a importância do simpósio. “Esse encontro é fundamental para que possamos pensar em iniciativas a partir da parceria público privada, que possam acabar com o desperdício dos alimentos em todas as formas. A cidade tem muitas pessoas em vulnerabilidade social que precisam não só de doações, mas também de informação e acesso”, afirmou.

3º Painel – Doações: Onde estão e quais os desafios para aumentá-las?

A discussão conta com a participação do professor da Universidade Estadual de Campinas, Walter Belik e da representante do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comusan-SP), Vera Vilella. Na ocasião serão apresentadas as formas de doação para o Banco de Alimentos, além de discutir a quantidade de desperdício e a ação do Comusan.

4º Painel – Fechando o Ciclo: resíduo não é lixo

Neste último tópico, os participantes vão discutir a importância social do reaproveitamento de alimentos e da coleta de resíduos sólidos. Participam do painel os representantes da Creative Commes, Raquel Blaque, Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), Monty Dahan e da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Roberto Filho.

 

PAINEL II – EDUCAÇÃO: O CAMINHO PARA A MUDANÇA  

17h00 – Rosa Moraes, Universidade Anhembi Morumbi

Tema: Iniciativas e desafios

 

17h05  (interação com o público)    

 

PAINEL III – DOAÇÕES: ONDE ESTÃO E QUAIS OS DASAFIOS PARA AUMENTÁ-LAS?         

 

17h20  – Walter Belik, UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas

Tema: Bancos de Alimentos: públicos ou privados, qual o melhor formato? Falta de quantificação do desperdício: quais as complicações?

 

17h35 – Vera Villela, COMUSAN – Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional

Tema: O COMUSAN e sua ação na promoção do combate ao desperdício e no empoderamento das entidades assistenciais.

 

17h45  (interação com o público)

 

PAINEL IV – FECHANDO O CICLO: RESÍDUO NÃO É LIXO   

 

18h00 – Raquel Blaque, Creative Commes

Xepa: o que é e qual a importância social desta ação?

 

18h10 – Monty Dahan, AMLURB – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana

Iniciativas e desafios

 

18h20  – Carlos Roberto Filho, ABRELPE – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais

Tema: A importância dos números como base para a construção de soluções.