Profissões e profissionais do futuro: qual caminho seguir?

Quem nunca ouviu o avô ou a avó dizerem, em suas falas pragmáticas, que no tempo deles as coisas eram diferentes? Se você nunca deu ouvidos a isso, pois bem, agora é a hora certa. Afinal, o mundo está em constante transformação, mas não como sempre esteve. Dessa vez a velocidade, intensidade e profundidade das mudanças são muito grandes. Isso afeta tudo, principalmente nossas vidas profissionais.

Sobre o futuro podemos afirmar pouquíssimas coisas, mas não me restam dúvidas de que o modelo tradicional de trabalho está ficando para trás. Agora, imaginem um jovem que deve escolher sua profissão hoje. Qual caminho seguir, sendo que há uma ebulição de ideias e conteúdos no seu entorno. Difícil, não é mesmo?!

Nas duas últimas décadas, algumas profissões deixaram de existir e muitas novas continuam aparecendo oferecendo grandes oportunidades. Especialistas dizem que 50% das profissões que existem hoje se tornarão obsoletas nas próximas décadas e aquelas que vão dominar o mercado…ainda nem existem. Mas tudo isso não se dá por um acaso, vários fatores são responsáveis por essas transformações.

O primeiro deles, sem sombra de dúvidas, é a tecnologia. Assim como na Revolução Industrial, lá no século XVIII, quando as máquinas aceleraram e padronizaram a produtividade das fábricas, atualmente a internet e seus recursos ilimitados vem modificando e eliminando uma série de empregos. Logo em seguida, estão a globalização, possibilitando a comunicação econômica entre todos os países, e as mudanças demográficas, que dizem respeito à quantidade de pessoas no mundo e ao aumento da expectativa de vida. As preocupações ambientais também são fatores importantes, pois calculam os impactos de nossas formas de produzir e consumir no meio ambiente. Por último, as mudanças no comportamento humano: trabalhar em casa ou próximo dela, mais que uma questão sustentável para o tráfego das grandes cidades, será uma opção pelo bem-estar, algo que o brasileiro já valoriza.

Mas, calma! Não é preciso desespero. Dá para se preparar para esse futuro próximo. As perspectivas profissionais para os jovens num mundo em transformação são variadas. Primeiro precisamos entender quais as ferramentas de que todas as pessoas precisam. Engana-se quem pensa que o melhor embasamento acadêmico e a maior vivência internacional são os requisitos essenciais. É preciso um conjunto de fatores e de comportamentos que ajudam os profissionais a se adaptarem e prepararem uma vida profissional de sucesso.

O profissional resiliente, autônomo, colaborativo, versátil, empreendedor, conhecedor de suas próprias vontades e ultra conectado é o que o mercado começa a demandar para o futuro. A tendência é que se tenha mais disponibilidade, protagonismo, capacidade de tomar decisões, sem esquecer dos valores éticos e da atualização constante. Além disso, é preciso ter jogo de cintura para lidar com os novos “desafios trabalhistas”, como o fim da estabilidade profissional e os novos modelos de contratação.

Entretanto, não é só o profissional que deve estar preparado para tamanha virada. As empresas também precisam modernizar suas estruturas. Mas isso é um assunto para um próximo post!