O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, entregou nesta quinta-feira, 28 de março, na sede da Prefeitura, o certificado as 24 empresas aceleradas na terceira edição do Programa Vai Tec, realizado pela Ade Sampa, agência vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

O prefeito Bruno Covas destacou a importância de dar continuidade ao programa e a relevância do foco permanecer na periferia da capital. “O Vai Tec nos ajuda a tornar São Paulo a cidade da inovação, mas principalmente, contribui para reduzir as desigualdades. Desta maneira, a iniciativa busca valorizar e dar oportunidades nas regiões periféricas. O aperfeiçoamento do programa nesta terceira edição, com a aceleração, teve o intuito que a ação prossiga dando mais oportunidades, sendo uma politica pública permanente”, ressalta Bruno Covas.

Durante o evento, foi anunciada a abertura das inscrições para a 4ª edição do Vai Tec – Programa de Valorização de Iniciativas Tecnológicas, que será realizada em 2019. A Ade Sampa vai selecionar e apoiar 24 negócios das periferias da capital paulista com aporte de R$ 33.100,00 para cada empresa selecionada, além de capacitações, mentorias e acesso a rede de contatos.

“É uma grande satisfação poder entregar os certificados de participação para todos esses jovens e reconhecer o talento deles. Esse é mais um ciclo que se encerra de uma edição que orientou e capacitou o empreendedor da periferia, além de ser uma grande oportunidade de mostrar para todos os jovens que é possível acreditar nos seus sonhos, gerar renda fazendo o que gosta e contribuindo com o desenvolvimento da cidade”, declarou a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Ao todo, a Prefeitura investirá mais de R$ 1 milhão na 4ª edição do Vai Tec, sendo R$ 800 mil diretamente aos empreendedores e R$ 250 na realização das atividades, que irão até dezembro de 2019. O programa visa fortalecer o ecossistema do empreendedorismo nas periferias de São Paulo auxiliando jovens a criar, desenvolver, validar e impulsionar empreendimentos que promovam o desenvolvimento local e a geração de emprego e renda.

“Um programa como o Vai Tec tem o poder de transformação. Os idealizadores de cada projeto terão a possibilidade de fazer chegar a outras pessoas essa experiência e de se tornarem espelhos. Esse incentivo contribui para que outros vejam que empreender pode estar ao alcance de todos.”, disse o diretor presidente da Fundação Telefônica Vivo, Américo Mattar.

O programa de aceleração de seis meses foi a novidade da 3ª edição Vai Tec. Através da parceria com a Fundação Telefônica Vivo, que desde 2013 atua por meio do Programa Pense Grande no fomento da cultura empreendedora, apoiando e fortalecendo jovens e seus empreendimentos por todo o Brasil, o Vai Tec se tornou um programa mais robusto. A base metodológica usada pela Fundação Telefônica Vivo serviu de ponto de partida para a elaboração da metodologia do Vai Tec, e os investimentos feitos pela organização foram fundamentais para realizar o acompanhamento e suporte dos 24 empreendedores.

“A parceria com a Fundação Telefônica Vivo foi fundamental para que nesta edição pudéssemos fazer um trabalho mais estruturado com os empreendedores incluindo aspectos técnicos, jurídicos, mercadológicos e habilidades, que fizeram com que os empreendimentos saíssem preparados para o mercado”, destaca o presidente da Ade Sampa, Frederico Celentano.

O Vai Tec realiza a chamada Aceleração, que apoia empreendimentos inovadores das periferias que utilizam tecnologia. Antes disso, foram realizados eventos de “Inspiração”, que reuniram cerca de 500 jovens de todas as regiões da capital para troca de experiências com empreendedores e vencedores de edições anteriores do Vai Tec.

Empresas certificadas

1. Silvana Truccs: produz calcinhas para drag queens, travestis e mulheres trans que permitem esconder a genitália de forma segura e eficaz, aliando estética e saúde.

2. Coletivo DedoVerde: realiza ações ambientais (coleta, armazenagem, destinação), educacionais (palestras), socioeconômicas (geração de renda local) e de saúde (acesso a alimentos orgânicos, prevenção de doenças) nas periferias.

3. 4Way: atua na popularização do conhecimento da língua inglesa por meio de metodologia em que os professores oferecem um conteúdo personalizado a partir da idade e capacidade dos alunos.

4. Clube da Preta: serviço de assinatura de produtos criativos (estuário, artes e acessórios) feitos por afroempreendedores da periferia.

5. Alfabantu: plataforma que promove conteúdos educativos com referenciais positivos sobre cultura e história da população afrodescendente e indígena para crianças, profissionais e pais.

6. Estilo Afro Marketplace: loja online direcionados a empreendedores e consumidores de produtos característicos da cultura afro-brasileira.

7. HOTD – Have Options To Dress: clube de assinatura de roupas que oferece 12 roupas diferentes por mês por uma assinatura mensal

8. Criativando Ideias (Ecocidades): startup de economia criativa, criada com o propósito de potencializar empreendedores, negócios e cidades.

9. Ponkan: empresa voltada a população de baixa renda que incentiva a aprendizagem sobre economia e finanças.

10. GEP – Guia de Emprego das Periferias: plataforma gratuita que mapeia e divulga ofertas de trabalho nas periferias da capital paulista e da Grande São Paulo.

11. Agama Bolsas: loja online de bolsas e itens sustentáveis, que permeiam desde a matéria-prima, com a utilização de técnicas de upcycling (reutilização de matéria-prima sem haver alterações químicas ou físicas), ao life style vegano.

12. Jaubra: empresa de mobilidade urbana que atende a população da periferia da cidade

13. Central do Consignado: realiza intermediação de crédito consignado para os clientes que sejam elegíveis, com taxas menores do que se o cliente fosse diretamente ao Banco, cotando para ele a menor taxa disponível do momento.

14. Parabéns, Te Odeio!: marca que comercializa online presentes malcriados. Apresenta um portfólio repleto de produtos com foco em design e criatividade.

15. LiteraRUA: coletivo de autores e produtores que praticam cidadania por meio de livros e da arte de rua, dando voz aos autores e artistas da cultura e da educação popular.

16. Py.tech: serviços de segurança do trabalho para as Micros e Pequenas empresas por meio de uma plataforma online

17. Gastronomia Periférica: O aplicativo mapeia comércios e comidas de rua na periferia da cidade.

18. Sucess Idiomas: plataforma que conecta professores de inglês com alunos da periferia, disponibilizando também bolsas de estudo integrais.

19. Garatéa: desenvolve soluções com foco em aumentar a taxa de sobrevivência em emergências médicas.

20. Estúdio E: estúdio de design para educação, que utiliza o design de impacto social como metodologia de trabalho.

21. Bora Lá & e-Bairro: plataforma digital que unifica informações sobre o bairro do Jardim São Luís, zona sul de São Paulo, referentes agenda cultural, notícias, vendas online, criação de redes de interesse, agência de comunicação e atividades colaborativas.

22. Polo de Ecoturismo de São Paulo Online: plataforma de divulgação, reservas e vendas dos serviços turísticos prestados pela Rede de Empreendimentos no Polo de Ecoturismo de São Paulo.

23. Boutique de Krioula: marca pioneira em moda afro no Brasil, que tem como objetivo a valorização da cultura afro brasileira por meio de produtos exclusivos.

24. Abebé Conecta: rede social cultural para empreendedores darem continuidade aos projetos gerados em laboratórios de capacitação em economia criativa (ÍndigoLAB).

Perfil dos empreendedores certificados pelo Vai Tec

• Nove da Zona Sul, oito da Zona Leste e sete da Zona Norte
• 33% são do gênero feminino, 66% masculino
• 32% se identificam como brancos, 68% como negros (pretos e pardos)
• Idade média de 31 anos
• 75% possuem renda familiar de até três salários mínimos
• 50% possuem o empreendimento como única fonte de renda familiar

4ª edição
As inscrições para a participação no Vai Tec são gratuitas e poderão ser realizadas pelo site www.vaitec.com.br até 6 de abril. O resultado final de seleção será divulgado até 10 de junho. A etapa de aceleração acontecerá entre 17 de junho e 17 de dezembro.

A etapa de aceleração tem duração de seis meses e os responsáveis pelos projetos escolhidos serão capacitados em gestão, incluindo aspectos técnicos, jurídicos, mercadológicos e habilidades como testes de solução, pesquisas de mercado, gerenciamento de equipes, de canais de clientes, marketing e tecnologias. Os jovens contarão com assessorias personalizadas de acordo com a necessidade do empreendimento, além de rede de contatos e acesso a eventos, conteúdos e recursos de parceiros do programa.

Para participar do Vai Tec, o negócio precisa ser inovador dentro de qualquer tema, ser viável técnica e economicamente e apresentar potencial para se desenvolver. O público-alvo são jovens com mais de 18 anos e moradores de locais que precisam de suporte para manter negócios sustentáveis e gerar renda imediata.

A prioridade da seleção será para projetos de regiões localizadas nos extremos da cidade, principalmente nas zonas Leste (São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, São Mateus, Guaianases, Cidade Tiradentes, Itaquera, Vila Prudente, Penha e Sapopemba), Sul (Parelheiros, Capela do Socorro, M´Boi Mirim, Campo Limpo e Cidade Ademar ) e Norte (Casa Verde, Cachoeirinha, Freguesia do Ó, Brasilândia, Perus, Pirituba, Jaçanã e Tremembé).