A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho realizou na última quinta-feira, 21 de março, mais uma ação de promoção a participação feminina no mercado de trabalho. O Elas Falam – Protagonismo Feminino no Mercado de Trabalho, proporcionou o debate sobre temas como autoestima, estilos de lideranças, a representatividade feminina no mercado de trabalho e na era digital. A roda de conversa foi composta por quatro mulheres que são referências no assunto, a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, a coordenadora de projetos do Instituto Avon, Mafoane Odara; a influenciadora e empreendedora digital, Gabriella Ferreira e a fundadora da Feminaria, Ana Bavon.

“É importante debatermos diariamente sobre a presença das mulheres no mercado de trabalho. A maioria dos números e dos problemas já são conhecidos, mas precisamos continuar falando sobre eles para ver se as coisas estão evoluindo como deveriam e o que ainda podemos fazer para melhorar essa questão. Nesses encontros a gente pode se conectar para que a mulher ganhe mais força nessa luta e vença todos os desafios que são impostos”, declara a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso.

Durante o bate papo, as participantes abordaram assuntos como a participação das mulheres no mercado, especialmente no setor tecnológico, as dificuldades diárias que elas enfrentam por ocuparem esse espaço e a mulher no empreendedorismo, com dicas de conhecimentos técnicos e vivências profissionais.

A fundadora da Feminaria, Ana Bavon, destacou a importância da união feminina para combater as desigualdades sociais. “A mudança começa a partir da gente. As mulheres precisam estar comprometidas integralmente com a vontade única de mudança. É preciso ter coragem, e coragem é traçarmos um objetivo real para nossa vida e buscar sem perder o foco”, destaca.

Durante a roda de conversa, o público pode fazer perguntas e colocações pertinentes ao assunto, flexibilizando o bate papo. “Não é só questão de levarmos informação para outras pessoas. Nós queremos que acima de tudo o conteúdo faça sentido. Por isso este encontro é tão importante, porque é esse tipo de atividade que transforma as pessoas e faz com que cada uma entenda a sua importância e o seu papel na sociedade”, destacou a Mestre em Psicologia, Mafoane Odara.

Na ocasião, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, apresentou as iniciativas de apoio às mulheres que são desenvolvidas pela Pasta, como o Programa Tem Saída e o Mais Mulheres.

“Eu faço parte de uma bolha muito distante desse mundo. As informações que obtive neste encontro foram fundamentais para que eu entendesse a participação feminina no mercado de trabalho, junto com minha bagagem da era digital. É importante que a gente saia da bolha para se colocar no lugar da outra e unirmos força, já que o nosso objetivo é o mesmo”, destacou a influenciadora digital, Gabriella Ferreira.

A ação fez parte do Mês da Mulher, agenda que reforça a importância da igualdade da mulher no mercado de trabalho e da importância da geração de renda, seja por meio de uma atividade formal ou do empreendedorismo.

Participantes:
Aline Cardoso
Aline Cardoso é graduada e pós-graduada em Relações Internacionais. Atuou no setor por 15 anos estimulando investimentos e exportações, além de promover cooperações técnicas entre empresas brasileiras e estrangeiras. Trabalhou no Governo do Estado de São Paulo, na Câmara Municipal de São Paulo e na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde adquiriu experiência na formulação e implementação de políticas públicas. Em 2008 fundou a Orbiz, consultoria de desenvolvimento de negócios e projetos internacionais, onde atuou até janeiro de 2017 quando foi eleita vereadora da cidade de São Paulo. Em julho de 2017, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da Prefeitura de São Paulo, com o objetivo de ampliar a geração de trabalho e renda da maior cidade do país, com empreendedorismo, desenvolvimento local sustentável, segurança alimentar e qualificação profissional, visando uma economia criativa e em linha com a indústria 4.0.

Mafoane Odara
Mestre em Psicologia do Departamento de Psicologia Social da Universidade de São Paulo. Pesquisadora e especialista nas áreas de juventude, saúde, gênero e raça. Coordena a área de enfrentamento às violências contra as mulheres e meninas do Instituto Avon. Integra a Rede pela Diversidade da Avon, o Conselho de Administração do Fundo Brasil de Direitos Humanos, Conselho de Desenvolvimento econômico e Social (CDES) da Presidência da República, a Rede de Líderes Políticos da RAPS (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade) e o Movimento Agora!. Tem se dedicado ao apoio e aprimoramento de iniciativas sociais e serviços públicos relacionados ao enfrentamento das violências de gênero e das desigualdades, a consolidação de programas de diversidade e direitos humanos, especialmente relacionados às questões de gênero e relações étnico-raciais e ao fortalecimento das mulheres na política institucional.

Ana Bavon
É consultora independe e facilitadora em desenvolvimento e potencialização de equipes e lideranças plurais, fundadora do Feminaria, que tem como objetivo fornecer consultoria em planejamento estratégico e cogestão em negócios administrados por mulheres. Empreendedora apaixonada, intraempreendedora multipotencial, advogada estrategista em negócios construiu seu conjunto de habilidades como gestora e consultora jurídica nas áreas de outsourcing e gestão estratégica. TedxSpeaker e colunista da Revista Consumidor Moderno. Seus temas são: comportamento, diversidade, inclusão e inovação.

Gabriella Ferreira
Youtuber e influenciadora digital, começou seu canal e usuário no Instagram sem nenhum seguidor ou influência. A blogueira iniciou sua carreira gravando vídeos caseiros e sem grandes equipamentos. Em 2018 começou a trabalhar com grandes marcas como Nestlé, Senac, Itaú, Universal music e outras empresas respeitadas. A youtuber oferece treinamentos para mulheres sobre o mercado de influencia digital e dezenas de consultorias.

Números
O consórcio internacional GEM (Global Entrepreneurship Monitor) revelou o cenário do empreendedorismo no Brasil em 2016. De acordo com a pesquisa, as mulheres são responsáveis por 51,5% dos novos negócios criados no Brasil em 2016. Já nos percentuais de empresas estabelecidas, ou seja, com mais de 42 meses de existência, os homens têm um histórico de supremacia, representando 57,3% do total. Essa supremacia é explicada no estudo por dificuldades enfrentadas pelas mulheres para conseguirem financiamentos, pelo preconceito no ambiente de negócios e pelas dificuldades em conciliar as demandas organizacionais e familiares.

O número de lares brasileiros chefiados por mulheres saltou de 23% para 40% entre 1995 e 2015. Porém, se em casa elas estão assumindo o comando publicamente, no mercado de trabalho ainda há diferenças.

De acordo com a FGV, 50% das mães são demitidas até dois anos após a licença maternidade. Excluídas do mercado formal, elas se socorrem no empreendedorismo. Segundo a Rede Mulher Empreendedora, a cada 100 novas empresas criadas no Brasil, 52 são abertas por mulheres; destas, mais de 50% têm filhos. Os dados são de 2016.