Lugar de mulher é exercendo sua cidadania

 Hoje, dia 24 de fevereiro, completamos 85 anos do voto feminino no Brasil. Fazem menos de 100 anos que mulheres são autorizadas e exercer o que deveria, desde sempre, ser um direito básico de todo cidadão em uma democracia. Foi Getulio Vargas que assinou, em 1932, o decreto que permitia que mulheres votassem, ainda assim de forma facultativa. Só em 1934 o direito virou dever e a igualdade entre os sexos em relação ao voto passou de fato a existir por aqui.
A decisão tomada lá atrás era o resultado da luta de muitas mulheres. As sufragistas são um capítulo importantíssimo da nossa história política. É graças a essas mulheres que eu posso hoje estar onde estou, exercendo plenamente a minha cidadania no papel de vereadora. A elas, desde já, o meu muito obrigada.
Agradeço porque elas preparam o terreno para que nas últimas décadas nós pudéssemos comemorar muitos outros avanços. Temos ainda poucas mulheres em posições de liderança e nossos parlamentos são excessivamente povoados por paletós e gravatas. Mas gradativamente estamos ocupando esses espaços e, o que é mais importante, ocupando com qualidade.
A Câmara Municipal de São Paulo é um exemplo disso. Em 2016 foram eleitas 11 vereadoras. Isso é mais do que o dobro das cinco cadeiras que eram ocupadas por mulheres na legislatura anterior. É pouco diante de um total de 55 parlamentares, mas celebremos a vitória, para então iniciar a próxima batalha.
Precisamos dar às próximas gerações exemplos em que se inspirem. Não existe forma mais eficiente de mostrar a uma mulher que ela deve almejar esses espaços, do que dar a ela exemplos bons, que orgulham e despertam o desejo de ser igual.
Minha trajetória política está começando, mas cada passo será dado com o peso da responsabilidade de que quero ser um espelho para cada uma de nós.
Sei que não existe limite ou restrição para as nossas capacidades. Podemos ser mães, profissionais, donas de casa, cientistas, políticas ou o que quisermos ser. A frase pode parecer um tanto repetida, mas sim, lugar de mulher é onde ela quiser! É votando, transformando e inspirando. O meu lugar agora é aqui, na Câmara, ajudando a #MelhorarSP, e o seu?