O envelhecimento populacional é um grande desafio. Mas se, por um lado, a longevidade pode impactar a saúde e a previdência, por outro, pode representar diversas oportunidades para a sociedade, governo e empresas. Para discutir sobre o assunto, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, participou do “IV Congresso Municipal sobre Envelhecimento Ativo”, na Câmara Municipal de São Paulo. O evento, realizado no sábado, 22 de setembro, debateu sobre trabalho e inclusão social dos idosos.

Durante o evento, Aline destacou “A grande sabedoria da mulher e do homem público é saber olhar para a sociedade. Quando eu assumi a Secretaria eu percebi a importância de trabalhar com o tema de qualificação profissional para os públicos mais vulneráveis. Os idosos estão dentro deste grupo. Precisamos trabalhar melhor as soft skills (habilidades comportamentais) destas pessoas para que elas possam se habituar ao novo mercado de trabalho, declara”.

Na ocasião, a coordenadora do trabalho, Ana Paula Rodrigues, palestrou sobre as políticas públicas para a inserção de pessoas idosas no mercado. A SMDE desenvolve políticas de trabalhabilidade de forma transversal, integrada com outras ações na área de Direitos Humanos, Inovação tecnológica, Cultura, Educação e em cooperação com outras secretarias e entidades públicas municipais.

Essas ações se orientam pelas determinações da Política Nacional do Idoso (Lei nº 8.842/94) e do Estatuto do Idoso (Lei 10741/03), que assegura todos os direitos de cidadania, garantindo sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade, bem-estar e direito à vida; além da participação na formulação e avaliação dos programas que serão desenvolvidos. A lei também garante a viabilização de formas alternativas de participação, ocupação e convívio do idoso, que proporcionem sua integração às demais gerações.

O Programa de Inclusão Econômica (PRIEC) visa estimular a inclusão de públicos vulneráveis que estejam buscando inserção no mercado de trabalho ou capacitação empreendedora. Já ocorreram quatro edições para pessoas com deficiência. O objetivo é realizar uma para terceira idade ainda em 2018.

Outra iniciativa da SMDE são as vagas em iniciativas de qualificação profissional por meio do Programa Operação Trabalho (POT), e dos cursos do PRONATEC e da Fundação Paulistana. Além disso, os munícipes podem se cadastrar e candidatar a diversas oportunidades em uma das 24 unidades do Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo (CATe) da capital.

Participaram também da mesa de abertura, o vereador e proponente do Congresso, Gilberto Natalini, a secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Berenice Gianella, o cantor, Luiz Ayrão, a presidente do Grande Conselho Municipal do Idoso, Marly Feitosa e o representante do Hospital Premier, Sergio Gomes.

Para o vereador, Gilberto Natalini, “‘a mudança demográfica traz desafios enormes e acredito que é com a soma de esforços, interesses e iniciativas que podemos encontrar soluções justas e viáveis”.

Na programação, além da reflexão sobre o mercado, políticas públicas e leis de incentivo, o empresariado paulista fez parte das mesas, na busca de integrar os vários elementos que compõem a desafiadora questão de empregabilidade e geração de renda para homens e mulheres que envelhecem e representam uma mão-de-obra experiente e potencialmente produtiva.

Na edição deste ano, uma novidade: uma premiação motivou o intercâmbio de gerações, com o patrocínio do Hospital Premier, parceiro do Congresso. Também aconteceu o Prêmio Científico Tomiko Born.