Com mercado de trabalho em constante evolução e as possibilidades de surgimento de novas atividades produtivas, os setores público e privado têm buscado promover o debate em busca de soluções para garantir a empregabilidade e geração de renda. Alinhada a esse processo, a Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE) tem planejado ações que aumentem a qualificação profissional e a empregabilidade.

Essa expertise foi apresentada nesta quinta-feira (16), na palestra Futuro do Trabalho, pela secretária de Trabalho e Empreendedorismo, Aline Cardoso. O encontro foi promovido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Uma das ações da SMTE é a criação, em breve, da Supervisão de Futuro do Trabalho. A área se dedicará ao entendimento das tendências que estão se consolidando no mundo e no país. Os estudos obtidos servirão para nortear às políticas de desenvolvimento econômico e de qualificação profissional. “A gestão municipal está atenta às tendências de mercado. Esse movimento inclui pensar como integrar as novas economias como criativa, verde, colaborativa e compartilhada, dentro dos planos que temos para a cidade. Temos procurado desenvolver políticas pensando no amanhã. No entanto, não deixamos de intensificar as parcerias para minimizar os impactos da situação atual, aliada a atividades que fomentem e capacitem novos empreendedores e a geração de renda”, destaca Aline Cardoso.

Presente também ao evento, o secretário adjunto de Emprego e Relações de Trabalho do Governo do Estado, Bruno Maloly, enfatizou a atuação da pasta, que tem procurado identificar as demandas da sociedade e dos setores produtivos. “As empresas, pela experiência que possuem em seus segmentos, apontam com maior agilidade as necessidades de mercado. E a área publica precisa acompanhar esse andamento para poder contribuir na geração de mais emprego e trabalho. O mercado de trabalho 4.0, que inclui vários mecanismos e ferramentas tecnológicas, exige de todos os setores o desenvolvimento de politicas que permeiem todas as áreas, sem deixar de lado a inclusão social”, afirma Bruno Maloly.

A conselheira e coordenadora geral do Conselho do Terceiro Setor da ACSP, Marília de Castro, destacou os desafios de aliar as novas tecnologias ao desenvolvimento do mercado de trabalho. “O debate do futuro do emprego, do trabalho e também das empresas mostram que temos que superar os desafios desse progresso constante. São diversas as inovações que não podem nos desesperar. Temos que trazer as inovações como a internet das coisas, robótica, nanotecnologia, entre outras, em favor da sociedade”, argumenta, Marília de Castro.

Participaram também da mesa de debates o vice-presidente ACSP, Roberto Mateus Ordine, a presidente do Conselho do Terceiro Setor da OAB-SP, Lucia Bludeni e o presidente da Rede Brasileira do Terceiro Setor, Moisés Iavelberg.